Isso também passa 


Ao seu lado descobri muito mais sobre mim,

Descobri que em minha fraqueza havia força .

Me doando a você, eu despi minha alma 

E acreditei que poderia transbordar o seu vazio com meu amor.

De todos os amores pelos quais chorei,

Você certamente foi o único pelo qual eu mergulhei, sem me importar com a ameaça iminente de afogar -me.

Não importa o quanto eu pense neste momento,

Eu não poderia descrever o quanto eu te amei. 

Mas o que eu não sabia, é que não importa quanto amor você doe à alguém, 

Há coisas que as pessoas precisam resolver sozinhas, que há vazios que nem todo amor do mundo pode conter, eles sempre tendem a crescer. 

Não importa quantos sonhos tenhamos guardado e o os planos que fizemos, o quanto construímos ou quanto ainda poderíamos construir… 

Nada foi suficiente para você,

Eu nunca bastei para você,

Meu amor não foi o bastante pra você. 

E por todo esse tempo, eu me

Pergunto o quanto do todo foi real. 

E até que ponto você me amou? 

Um dia você amou ? !

Mas tudo bem, agora de nada adianta se torturar com perguntas sem respostas 

Da mesma maneira que superei a dor,

E amor também já superei seu amor. 

  • Para Ouvir : Aron Wright – Don’t Play Games ( Caso você seja tão dramático quanto eu )
Anúncios

Todos temos um pouco de Hanna Baker e também um pouco dos 13


Vamos sim falar um pouco sobre a série mais comentada do momento, não para entrar na onda e chamar a atenção, se apropriar da sua grande repercussão. Mas sim porque ela é uma série profunda, e que nos toca em algum momento, seja pelo choque dos acontecimentos que discorrem sem controle algum, ou pela identificação com os personagens, ou até mesmo pela trilha sonora incrível.  
Assistir os dramas vivenciados pela personagem fictícia me fez perceber que ela vai, além disso, que uma das razões pelo grande sucesso, é a identificação de nós pessoas reais com tudo o que acontece com Hanna e todos os envolvidos, levou-me a refletir sobre minha experiência escolar.
Todos nós queremos ser aceitos, queremos agradar ao próximo, é da nossa natureza querer SER ACEITO socialmente, e por este motivo fazemos escolhas muito duvidosas ao longo deste período. Somos incitados a seguir o “modelo” dos mais descolados, e isso, acredite nem sempre tende a acabar bem.
 Quando se está no topo, nós não percebemos a influência que causamos aos outros, mas quando estamos lá embaixo da cadeia alimentar estudantil, nós temos uma perspectiva melhor do que se passa dentro deste contexto.
Acredite, sei bem, o que é não ser popular, e estar à margem dos mais queridos, e ser um dos mais estranhos também, mas também sei que por diversas vezes me tornei impassível diante de várias crueldades disfarçadas de brincadeiras infantis, acredite também, adolescentes sabem ser cruéis.
Já fui desmoralizada, xingada, ignorada… Mas sabe… Eu sofri, senti como se o chão me fosse arrancado dos meus pés, e que todo meu mundo estava desmoronado, por diversas vezes.
Eu lutei, como se isso dependesse a minha vida, e dependia. Sei que diversas vezes me senti humilhada, mas eu segui em frente, não foi fácil, doeu , eu chorei. Mas no fim eu sobrevivi.
De certa forma, tudo isso se tornou passado para mim, não sei como, ou quando exatamente. E hoje terminando os 13 episódios, percebi que o motivo de estar tão mexida, é por cada capitulo ter despertado uma emoção esquecida em mim, e no final da jornada, eu me dei conta de que não somente os adolescentes são frágeis, talvez a mais gritante diferença sejam os anos que nos separam, pois no intimo, eu por volta e meia sinto que todo o drama pode voltar a qualquer instante. 

  • Para Ouvir: Only You – Selena Gomez 
  • Para Assistir : 13 Reasons Why – Caso seja amante do gênero – Mas já garanto que não irá se arrepender ! 

Sufocando 


Você já amou tanto alguém a ponto de você não saber se o que é maior e o amor ou o medo ? Sofrendo a cada evolução desta relação ? 

Alguma vez esteve paralisada por tamanho pavor que esse sentimento lhe causou ? 

Já teve andou lado a lado com a dor da perda,porque talvez assim, você pensou estar preparada no momento em que as coisas mudassem de percurso ? 

Já acordou e pensou: Seria hoje o dia que em que tudo vai desmoronar ? 

Intimamente fazendo contagem regressiva, se perguntando até quando a calmaria poderá durar. 

Você já teve medo de acreditar que a Felicidade vai chegar ? Que ela é uma realidade pra você ? Ou viveu pisando em ovos, correndo direto para o fim sem pensar no que vai acontecer amanhã ? 

Você que já sofreu tanto em silêncio e chorou tantas vezes em vão? 

Como definir o que pode ser realidade quando se acredita que a tragédia pode chegar a qualquer instante? 

Como viver, se a todo instante você tem a sensação de estar prestes a morrer?  


Para ouvir: One And Only – Adele 

Prosseguindo com coragem 


Ainda que a luz faça presente a escuridão se esconde atrás de falsos sorrisos,

Ou de uma brisa fresca numa manhã de domingo.

E então tentamos seguir em frente,

Corajosamente enfrentando a recorrente onda do passado,

Os momentos que assombram,

As feridas que não se fecham,

E permanecem sangrando lentamente ao longo dos anos.

Mas já não somos jovens,

E tudo o que planejamos se esvaiu,

É preciso enfrentar a dura realidade daquilo que nunca seremos.

Do que perdemos.

E seguimos assim sem perceber que ao viver sentindo o que já se foi,

Estamos na verdade abrindo mão de todos os bons momentos que agora estamos vivenciando.

Um olhar furtivo,

Um sorriso bonito,

Ficaram guardados para sempre num pensamento acolhedor.

 

  •  Para Ouvir: Pearl Jam – Yellow Ledbetter  

 

Quando um ano muda


Quando um ano muda, nós também mudamos ? Ou talvez só temos a falsa ilusão de que um novo ciclo possa nos dá a esperança e energia necessária para que possamos seguir em frente em nossa caminhada ? O quão disso tudo é real? Novos dias são possíveis além de um novo ano,nascem dentro de nós sempre que necessário,devem surgir quando estamos exaustos e a esperança de mudança já não aquece o nosso coração. Acordamos um dia e BUM ! Percebemos que a vida deu um salto, aquele salto que somente a evolução humana pode nos oferecer. E seu lugar não lhe cabe mais, Como aquela velha roupa esquecida no armário. E sejamos gratos por isso, porque quando abrimos os olhos e vemos a luz, como há muito tempo já não era vista. Então percebemos que podemos ser grandes, inovadores , e sempre cheios de energia, não importa o que nos fazem, cabe a nós saber lidar, não aceitar menos do que merecemos e principalmente acreditar na força que mora em nós e seguir a diante, sempre abandonando o que não lhe cabe ou que não lhe faz bem.Esse é o significado do que é amor próprio que devemos levar para todo o viver. 

Quando os anos passam 

Ela refletiu por alguns momentos, E chegou a conclusão de que eles se amavam, 

De que eram bons amigos, 

Bons amantes,

Mas não sabiam ser parceiros, 

Não mais.Nao à essa 

altura da vida. 

Ela podia sentir que as coisas estavam mudando, 

E como sempre a mudança lhe trazia ansiedade, e esta lhe causava dor. 

Por mais que ela pensasse, não conseguira achar uma explicação plausível para o que lhes estavam acontecendo. 

Ainda que eles formassem um casal perfeito, a sintonia já fora perdida, e a mesma nunca mais voltou. 

Ela já sabia que este dia chegaria, mais cedo ou mais tarde, era questão de tempo. A cada dia suas brigas eram mais constantes, e a distância já era familiar. O diferente era o dia em que eles dormiam juntos, ou passar mais de uma semana sem brigar, ou passar um mês sem falar em separação. 

Separação, era a única saída dessa estrada tortuosa, e caminhos cheios de pedras que estavam lhes atormentando, machucando um ao outro a todo momento. 

Mesmo após tantos anos, ele não sabia se comprometer, e ela não conseguia mudar, o que mais eles poderiam fazer ? Poderiam acabar com esse tormento abrindo mão um do outro. 

Ou Ainda havia outra opção ? Poderiam eles Ainda tentar ? Será que ainda havia amor o suficiente para encobrir os rastros de cada uma dessas explosões? Haveria amor o suficiente para ser um bálsamo de cura para os dias ruins? 

Transpondo Limites

Há dias eu venho pensado como deveria ser um “bom primeiro Post”, e cheguei á uma conclusão: Eu não sei !

Quanto mais eu penso, mais idealizo um Post de impacto, e acabo desistindo,deixando para depois com a desculpa de que eu teria mais tempo para me dedicar.

Besteira. Percebi que estava mesmo mesmo me sabotando. Se pararmos para pensar nunca estaremos prontos o suficiente para dar o primeiro passo em direção há um novo objetivo, um novo projeto e principalmente em direção ao seu grande sonho. Mas se não dermos o primeiro passo, jamais saberemos como teria sido. Certamente cometerei erros e terei arrependimentos, mas nenhum supera o arrependimento de nunca ter tentado.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑